7 de novembro de 2008

Persona

O título desse post não tem relação direta com o filme de Bergman e sim com a máscara que os atores do teatro grego usavam.

Talvez melhor seria usar como título " A Gaia Ciência". Um livro que ainda não li. Mas está na minha lista. Acho que tenho receio de que muita filosofia me faça pensar mais do que eu já penso hoje... Eu hein??

Segundo consta, é nele que está um dos aforismos mais famosos de Nietzsche: "Torna-te quem tu és."

"Quando Nietzsche Chorou" virou best seller, e muitas pessoas, inclusive eu, depois de ler o livro do Yalom pararam para pensar nisso. Então esse post aqui é só mais um dos muitos sobre o tema que devem ter espalhados pelos blogs mundo afora, porém não tenho nenhuma pretensão de analisar profudamente o assunto.

Mas esta foi a tônica dos comentários do post anterior. As opiniões podem até divergir em alguns aspectos, mas todos concordam sobre a necessidade de sermos nós mesmos.

Muitas vezes as pessoas criam para si mesmas personagens. Vestem máscaras na tentativa de se ajustar, de fazer com que a vida pareça mais fácil. E, ao que tudo indica, todo mundo que está aqui concorda que este não é um bom caminho, certo?

Porém, às vezes, se tornar o que você é, não é um processo fácil. Algumas "máscaras" já estão a tanto tempo em uso que não se sabe mais onde termina a máscara e onde começa o rosto. E aí fica difícil até saber quem se é, que dirá aceitar para você mesmo quem você é de verdade. Imagine então para os outros aceitarem, se você mesmo não se aceita?? E como renunciar a um papel que estava sendo executado tão bem?

Só que está mais do que provado que o esforço vale a pena. Ser fiel a você mesmo é uma escolha que não tem como dar errado! Tentar se enquadrar no que você não é apenas para agradar os outros ou para que as coisas fiquem mais fáceis, é caminho certo para dor de cabeça.

Já passei por isso e não quero mais!! Se há uma coisa boa nos fracassos são as lições que tiramos deles. Essa foi uma delas... Uma fichinha colocada quando li a máxima de Nietzsche e que só foi cair algum tempo depois.

Hoje não pretendo ser nada do que não sou. Procuro sim me analisar cada vez mais e saber de fato quem eu sou, o Leonardo por trás da persona. E dentro do que sou, tento não deixar de buscar o meu melhor.

Sou o que sou e gosto do que sou. E quem não gostar... bem, o que não falta é gente diferente no mundo para encontrar e gostar!

नमस्ते

3 comentários:

Mary West disse...

Ach oque assim mesmo, nunca estamos completamente satisfeitos com o nosso papel nessa vida, mas tb naum podemos subestima-lo. ;)

Calcinha combinando... disse...

Concordo com cada palavra, vírgula e espaço... rsrs
Mas o último parágrafo é mais do que perfeito!!!!
Bjus

Felina disse...

Leonardo,
antes de mais nada,quero agradecer pelo seu feedback.Bom,com relação ao seu comentário deixado,sim,depois de algumas poucas experiências que pude ter nos meus quaaaaaase 27 anos de idade (praticamente uma criança,com muito o que aprender ainda),aprendi realmente isso que você mencionou.Compromisso e relacionamento é o exercício contínuo da liberdade de acima de tudo,seu parceiro e vc mesma ter uma vida própria.Acho que pessoas inseguras tentam buscar auto-afirmação no parceiro,e isso acaba não dando muito certo,pois isso inevitavelmente vira cobranças...E não tem coisa pior pra um compromisso,do que cobrança,acho que as coisas tem que acontecer naturalmente,de uma forma gostosa e ambas as partes estarem felizes por isso....

Com relação a mim e ao Renato,estamos juntos a pouco mais de 2 meses e estou indo viajar em janeiro pra Austrália por 6 meses.o que menciono muito,é que não vou deixar de fazer essa viagem,por mais que eu esteja gostando dele,por mais que ele esteja sendo no momento,tudo o que eu sempre quiz...Entende?E ele me dá essa liberdade,assim como eu estou dando essa liberdade a ele pra estar aqui no Brasil e viver sua vida...Agora fidelidade meu amigo,é uma coisa que eu privo demais !!!! (pra não deixar nada mal entendido rs)

Sobre o seu post,acho que não tem coisa melhor do que você se aceitar como você é,sem mais nem menos e as pessoas que realmente gostarem de você,te aceitarem sem querer te mudar...Mas acho que pra isso,você precisa se assumir,se aceitar e se amar...Assim como me parece que você está fazendo.Porque as máscaras além de caírem todas um dia,elas são as maiores culpadas da gente não se conhecer a nós mesmas....(mesmos rs)

Você expõe seus pensamentos de uma forma muito legal.Gostei

Uma boa semana pra ti..
Desculpa ter escrito tanto rs

bjos