19 de setembro de 2008

Quando meu bem vira meus bens...

Eu queria postar mais sobre a viagem mas estava empacado. Tentava escrever mas um outro assunto muito chato anda bloqueando as minhas idéias. E como este blog está aqui pra isso, acho melhor escrever sobre o tal assunto chato e quem sabe tirar um pouco do peso das costas.

Meu namoro com a Sra. J durou 7 meses. Ficamos 8 meses casados. Sim, eu sei... uma loucura completa. Até poderia ter dado certo mas o fato é que fomos mais movidos pelas expectativas criadas do que pela realidade. Enfim, o post não é sobre isso e esse parágrafo só está aqui para ressaltar o pouco tempo que ficamos casados.

Agora já que estamos separados, chegou a hora de assinar os papéis e dar um fim formal ao que já terminou faz tempo.

E é então que a Sra. J, como boa conhecedora do meu coração mole, me faz um pedido. Pediu para receber mais dinheiro do que a metade dos que tínhamos pois, segundo ela, para mim não fará falta mas para ela fará.

Sim, é verdade que eu sempre ganhei mais do que ela. É verdade que eu já tinha patrimônio antes de casar e ela não. É verdade que o fim do casamento foi uma grande decepção (mas foi para ela e para mim). E também é verdade que infelizmente ela acabou de ser demitida de um bom emprego.

Mas é por outro lado é verdade que mesmo separados eu continuei lhe ajudando com dinheiro. É verdade que o carro que vai ficar com ela foi comprado e quitado por mim. É verdade que a Sra. J já está curtindo a vida com outro namorado. E também é verdade que a Sra. J é jovem, capaz, inteligente, tem um ótimo currículo e em breve estará novamente empregada.

Pode ser que eu seja apenas um tolo romântico e sonhador mas para mim não é nada fácil ver que o que um dia foi uma história de amor termine em discussão sobre dinheiro.

E o pior é que ela sabe direitinho como me comover. Bastaram algumas palavras e eu já não sei se devo dar o que ela pede ou bater o pé e dar apenas o que está na lei.

Acho que preciso é acender uma dúzia de velas pro Murphy!

12 comentários:

Srtª Amora disse...

tudo é perfeito até o dinheiro fazer parte... mas nada absurdo, a vida é feita de interesses, velados ou explícitos. Li toda a página. E de certa forma, sinto por não ter dado certo... sei bem como é ter as expectativas frustradas. Não seja "bonzinho" demais, as pessoas costumam abusar.
fique na paz. Abraço.

Anônimo disse...

Gostei muito do seu blog. Li ele inteirinho. Poucos sãos os homens que mostram este lado mais sensível. O mais curioso é fazer isso num blog.
Me identifiquei com o seu momento.
Parabéns pelo blog e pelo jeito de escrever
Eu
http://exerciciodamente.blogspot.com/

Igor Garcia disse...

Leo,

To vindo aqui só para agradecer encarecidamente o comentário e que estou voltando já, já para comentar SOBRE o seu texto! ;-) Tava meio longe, mas resolvi voltar com tudo!!!

Forte abraço!!

Gis disse...

Pois é, bem complicado. Não me peça opinião porque em briga de ex-marido e ex-mulher, eu não meto a colher! ;-)

Igor Garcia disse...

Leo,

Se vc acender vela para Murphy, vc tá acendendo vela ara o azar! Não acho uma boa idéia! Eu nunca casei, mas já cometi loucuras como morar com a parceira bem aí na tua terra!

Acho que vc deveria procurar um advogado e um bar! O prmeiro para te orientar em relação ao pagamento, onde vc pode por lei, e onde é comum acordo entre vocês. E o segundo é para vc espeirecer, relaxar, mudar um pouco seu foco romantico, e quem sabe surge alguém para vc compartilhar um drink! ;-)

Forte Abraço!

Anônimo disse...

Obrigada pela visita e pelo elogio.
Eu
http://exerciciodamente.blogspot.com/

Lua disse...

Passei aqui por acaso, pois sou amiga da Gis e fui blogueando..
Mas talvez nem tão por acaso assim, pois acabo de escrever um post em meu blog sobre a oração pela vida...não é exatamente o mesmo assunto, mas talvez sirva de inspiração pra reanimar a alma!
E quanto as brigas (desculpa a intromissão) o bom é seguir seu próprio conselho: o que diz seu coração.

Parabéns pelo Blog!
Abraços

Leonardo disse...

srta. amora,

Sim, a vida é feita de interesses... É duro reconhecer que a Sra. J tem os delas e eu tenho os meus. Os interesses comuns ficaram no passado.

E quanto a ser "bonzinho", muitas pessoas acham que é o mesmo que ser "bobinho". Mais do que agradá-la, coisa que já não é mais possível, só quero agora ser correto com ela.

Um beijão e obrigado pela visita!



Igor,

Já segui a primeira parte do seu conselho e procurei uma advogada. E a segunda parte vou seguir neste final de semana. Preciso mesmo espairecer.

Um grande abraço e obrigado pela força!


Gis,

Complicado mesmo!
Não deixe de aparecer só porque virou européia hein? ;-)

Beijão!


Lua,

Ótima inspiração vinda do seu blog. Obrigado! E não se preocupe: estou aqui mesmo pra aceitar toda e qualquer intromissão!

Bj

Isa disse...

Acho que deveria pensar no que te faria bem. Se der e ficar chateado achando que ela não merecia, vai ser ruim, mas se não der e ficar com remorso,será pior ainda.
É muito triste quando as coisas que importavam ficam pra trás, né?!
bjus e boa sorte.

Mary West disse...

Hahahahaha soh lembrei da piada da barbie divorciada. Vem com o carro do Ken, a casa do Ken...

Calcinha combinando... disse...

UAU! Li seu blog inteirinho. Alguns comentários ecoam...:
"Mas ele só queria que gostassem dele pelo que ele era, e não porque era "perfeito"... " - E só deve ser se for assim!
"Um amor passado faz parte da vida.... E, espera-se, devemos ter aprendido algo com eles." - Isso tem a ver o questionamento sobre amar eternamente. Na verdade, minha opinião é de que se ama eternamente sim. De algumas formas... Uma delas vc já mencionou: qdo o amor muda de intenção. Diferentemente disso, a outra forma faz com que vc esteja preso ao passado, amando aquela pessoa de 10/15 anos atrás, que certamente, assim como vc, não é exatamente a mesma pessoa... É complicado, mas acho que a gente deve mesmo guardar um cantinho para cada pessoa que passou pela nossa vida, tenha sido mais ou menos especial, todas trouxeram alguma coisa. Afinal: "quem vai deixa um pouco de si e leva um pouco de mim..."
Agora comentando esse post:
Querido, casamento sem filhos qdo termina é como término de namoro: cada um prum lado. E c'est fini...
E, como vc já deve ter conversado com sua advogada, deve saber que dependendo do regime de comunhão de bens escolhido, vc não tem que dividir nada com ela (ou tem, mas 50%, no máximo). E pensão, então... melhor nem comentar! Sem chance!!!!!!
No mais: fiquei encantada com seus posts... Seja bonzinho sempre!!!! O mundo e nós, mulheres, precisamos de homens assim... E, vamos combinar, isso é o que nos faz ainda acreditar que o cavalo branco chegará um dia, muito bem conduzido!
Bjus!

Anônimo disse...

Nossa, pra mim essa mulher não passa de uma interesseira.. ela não tem vergonha na cara de fazer tal proposta, não?? Eu teria mais dignidade numa hora dessas. E olha que sou advogada, rs!!