7 de agosto de 2009

Fragilidades

É estranho como conhecemos as pessoas nessa blogosfera... É inegável que, por mais anônimos que sejam os autores, por mais impessoais que sejam os textos, aos poucos vamos tendo contato com os mais diferentes tipos de pessoas.

Passamos a frequentar blogs que nos emocionam. A visitar aqueles que trazem sempre textos inspiradores. Perdemos a noção do tempo lendo as histórias que nos fazem rir. Esperamos ansiosos o desfecho de uma situação narrada nas semanas anteriores.

E assim vamos nos conhecendo e nos relacionando... à distância e através apenas de palavras numa tela. Mas muitas vezes sabendo mais uns dos outros do que até mesmo as pessoas que estão do nosso lado.

Como eu já disse antes, o EntreTrintas me inspirou a começar a blogar. A Gisele foi minha primeira leitora. Me deixou recados cheios de entusiasmo quando o que eu mais precisava era mesmo de estímulos para não desanimar. E no entanto jamais a vi. Nunca conheci seu rosto, nunca ouvi sua voz... E mesmo assim sentia como se a conhecesse. Como se fosse uma velha amiga, presente mesmo que distante.

Mas, como diz a música, a vida é mesmo coisa muito frágil. Um acidente de carro levou a Gisele. A primeira sensação foi de choque. Reli o texto para ver se realmente eu havia entendido certo. Depois me bateu uma tristeza pelo súbito e prematuro fim da vida de uma pessoa alegre e que parecia estar curtindo um momento super feliz.

Por fim fiquei triste por perceber a fragilidade das relações que temos aqui. Quantas pessoas aqui, das quais aprendi a gostar, são realmente próximas? Com quem eu ainda conseguiria manter contato se por alguma razão o google resolvesse encerrar suas atividades?

Percebi que são poucas. Gostaria que não fosse assim, mesmo sabendo que paradoxalmente para muitos é a distância que permite a proximidade. Mesmo assim eu gostaria de poder dar um abraço forte em cada um de vocês.

Volto a citar o Juan Antonio:

Life is short. Life is dull. Life is full of pain. And this is a chance for something special.

Portanto: Façam algo especial. A vida é curta e frágil. Aproveitem e abracem as pessoas que vocês gostam. E sintam-se abraçados por mim...

नमस्ते

7 comentários:

N. Ferreira disse...

É, leo, as coisas, de tão frágeis, acabam sempre nos assustando, dá medo do que pode acontecer.
Todas as relações são assim, creio, virtuais ou não.
Fiquei tocada com a história da sua amiga, imagino que mesmo à distância tenha sido uma perda e tanto.
Fica a lição: aproveitar cada segundo, com toda a intensidade, valorizando justamente devido à fragilidade.
Tem um livro que diz: life is short, wear your party pants :)
Beijos e abraços

Marina disse...

Gente, estou pasma. Entrei no EntreTrintas ainda esta semana e acabei tendo que ir fazer outra coisa, antes de ler o texto que lá estava. Agora, entro aqui e vejo essa notícia. Não conheci a Gisele, nem sequer me comuniquei com ela de alguma maneira. Apenas, como tantos outros, lia os textos divertidíssimos. Mesmo assim, é chocante quando a gente se depara com a morte, mesmo que de gente tão distante. Como assim nunca mais vou ler um texto dela?

Triste, muito triste.

Crystal disse...

Oi Leo,

Triste mesmo o que aconteceu...
Na correria deixamos de encontrar nossos amigos, falar e demonstrar o quanto gostamos deles.
Eu já conheci alguns amigos virtuais e foi muito bom, mantemos contato até hoje, acho que vale a pena.
As vezes é bom pararmos e avaliarmos o que fazemos e como estamos aproveitando esta passagem que é a nossa vida.

Beijos

Eu disse...

Adorei o abraço nos seus amigos virtuais. Um outro pra ti....

Lu Motta

Calcinha combinando... disse...

Leo,

Também fiquei triste e chocada com a história...

Mais um motivo pra não deixarmos passar o 7 de setembro e o 12 de outubro, hein!!!!!! (tá louco, ISOLA!!!!!)

Bjuuuuuuuuu

Leonardo disse...

Obrigado gente!! Quando coisas tristes assim acontecem, somos lembrados de como é importante não deixar de fazer o que nos faz bem. Como nunca canso de dizer, adoro receber seus comentários!

Beijos e mais abraços fortes em vocês!!

Gis disse...

Que lindo esse post, muito sensível. Sinto saudade de quando eu escrevia gostoso assim. rsrs A gente se conhece só daqui e não dá pra dizer que somos amigos, mas eu gosto de te visitar e adoro a tua visita. Isso me faz feliz e basta!Se um dia nos conhecermos pessoalmente vai ser lucro. Um beijo e obrigada por fazer parte da minha vida, mesmo pela blogsfera. ;-)