2 de outubro de 2008

Aos soldados que tombaram...

Eu provavelmente não deveria estar contando isto aqui nesse blog. Mas creio que meus poucos mas queridos leitores e leitoras são discretos o bastante.

No casamento na Bélgica encontrei com minha família. Seguimos viagem juntos para passar mais alguns dias na França.

Estávamos no vale do Somme, a caminho da Normandia. Apenas campos e mais campos de plantações e alguns cemitérios militares espalhados nessa que foi uma das regiões mais devastadas na Primeira Guerra Mundial.

Lá pelas tantas minha irmã fala: "Leonardo, preciso fazer xixi!"

"Tá bom, vamos parar."

Parei na primeira lanchonete. Fechada! Segunda-feira, onze horas da manhã, estrada movimentada e a lanchonete fechada! Segui mais alguns quilômetros. Minha irmã já começava a se contorcer pra segurar a bexiga. Parei na próxima lanchonete. Minha irmã sai correndo mas... NÃO TINHA BANHEIRO NA LANCHONETE!!!

Continuamos a viagem e agora minha irmã já estava desesperada. A estrada seguia reta à nossa frente por vários quilômetros... Nada além de campos cultivados. De repente uma placa indica "Cemitério Britânico - 2 Km".

"Quer que eu pare no cemitério e você faz atrás do matinho?" - Falei.

"Ahh meu Deus... Tá bom, vai! Pára!"

Acho que não foi pelos motivos mais nobres, mas tenho certeza que minha irmã agradeceu do fundo do coração aos soldados que tombaram nos campos do Somme.

2 comentários:

Mary West disse...

HAHAHAHAHAHAHAHAHA!! Na houra do desespero tudo vale, má eu soh passo por situações assim na loucura do Carnaval. :D

Gis disse...

ahahahaha Acontece! Leo, eu tbm ando em dívida com meus amigos virtuais. Hj que estou tendo tempo pra dar uma passeadinha. Sabe como é, as novidades e tarefas do mundo real são muitas agora no início. Mas acho que o que importa é mantermos o elo (ou seria o link?). ç-) Bjo grande pra ti.